Próximas assembleias, confira as datas

Notícias

Imagem

Já é hora de pensar na “contrarreforma” para recuperar os nossos direitos

Por Sérgio Butka*

Não podemos desanimar, mas sabemos que a situação do País neste momento não é favorável para o trabalhador. Temos um governo preocupado apenas com seus próprios interesses e que vive uma relação promíscua com os grandes empresários. Desde que assumiu, Michel Temer está cada dia mais afundado em corrupção e vem mostrando que não está nem aí para o trabalhador. Mesmo sem condições de governar e com toda a pressão do povo, conseguiu aprovar a trágica reforma trabalhista e segue empurrando a reforma da previdência a cada dia. Mas isso não significa que a luta foi vencida por eles. Pelo contrário: é agora que precisamos resistir, manter a firmeza e já começar planejar nossa “contrarreforma”.
 
Se em um primeiro momento não foi possível impedir que o estrago fosse feito, vamos ter que focar em consertar os danos. Já vimos que os governos que não estão junto com os trabalhadores são capazes de tudo para nos prejudicar e enfraquecer. Por isso, precisamos começar já a pensar no futuro e em como fechar as brechas que foram abertas.
 
O povo dá sinais de que já vem entendendo a situação e mostra insatisfação cada vez maior com um governo aliado dos patrões, que não tem outro projeto senão retirar o que conquistamos. Pesquisas como a divulgada pelo Datafolha no início de julho mostram que o brasileiro não concorda mais com ideologias que não apoiam o trabalhador.
 
Ou seja, temos um clima favorável para reverter a situação a partir das eleições 2018. Não podemos reeleger os canalhas que destruíram todos os nossos direitos e temos que eleger candidatos com firme compromisso de reverter essa reforma. Mais do que nunca, precisamos formar uma base forte para colocar candidatos que possam desfazer a lambança patronal capitaneada por Michel Temer e sua quadrilha de bandidos. Não podemos mais conviver com presidência, senado e câmara formados apenas por corruptos vendidos aos patrões. É preciso que os trabalhadores entrem de novo no comando das casas do povo e organizem a contrarreforma.
 
Com a reforma aprovada, não temos mais a CLT nos protegendo e o negociado vai valer mais do que as leis. É agora que precisamos defender ainda mais os direitos do trabalhador, não podemos deixar eles decidirem pela gente. Por isso, a contrarreforma deve começar agora, formando uma base de políticos que represente o povo e não os patrões. Essa vitória vai começar a fechar a ferida aberta pelos canalhas.
 
A lógica é simples, os trabalhadores precisam ser a maior bancada no senado e na câmara. O presidente também tem que ser eleito por nós, trabalhadores. Por isso, alerto desde já. A nossa chance de alguma melhora se aproxima com as eleições e é não podemos deixar quem votou para destruir os trabalhadores seja reeleito. Temos os nomes de todos que rasgaram a CLT e Constituição sem nenhum pudor. A lista é longa, por isso é preciso coragem! Se a gente cumprir bem essa missão, começamos a recolocar o Brasil nos trilhos para o crescimento e devolver o país para os trabalhadores.
 
Vamos em frente!

*Sérgio Butka é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, da Federação dos Metalúrgicos do Paraná (Fetim) e da Força Sindical do Paraná.
 

Comente esta notícia

Desenvolvido por Agência Confraria