Notícias

Imagem

Bosch: Mobilizados, metalúrgicos reprovam “PLR estacionada”

Proposta apresenta mesmo valor total de 2011. Empresa tem 48h para melhorar valores do beneficio. Hipótese de greve não está descartada

O que era previsto desde ontem (13) acabou acontecendo. Diante de uma proposta de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) igual à de 2011, a resposta da maioria dos cerca de 4 mil trabalhadores da Bosch não poderia ser outra: reprovação e prazo de 48h. A indignação dos trabalhadores foi nítida nas assembleia lideradas pelo SMC hoje (14) na porta de fábrica.
 
Além do valor total igual ao do ano passado (R$ 6,5 mil /100% das metas), a 1ª parcela foi reduzida para R$ 3.250,00, ou seja, R$ 1.950,00 a menos que 2011, quando foram conquistados R$ 5,2 mil de adiantamento.

O Sindicato comunicou hoje à empresa o prazo de 48h para que ela possa se reunir novamente e melhorar os valores. Logo após a assembleia o presidente do SMC, Sérgio Butka, analisou o resultado da votação. “É óbvio que diante de uma proposta que não evoluiu em nada ia ser reprovada. Ainda mais com a 1ª parcela menor que a do ano passado. Esperamos que haja o bom senso por parte da Bosch para fecharmos um beneficio justo para os trabalhadores”, ressaltou Butka.

Uma nova assembleia será marcada em breve para a próxima semana. Se até lá o acordo não avançar a hipótese de greve por tempo indeterminado não está descartada.

A fábrica da Bosch está situada na CIC (Cidade Industrial de Curitiba) e produz bombas injetoras para sistemas a diesel. A empresa possui mais três plantas no Brasil: duas em Campinas (SP) e uma em Aratu (BA).  As unidades instaladas no país fabricam produtos para o mercado de reposição, ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e máquinas industriais, além de prestar serviços automotivos para montadoras.
    
Clique aqui e veja galeria de fotos . Em breve, reportagem da  MetalTV.

Comente esta notícia

Desenvolvido por Agência Confraria