Carteira Verde Amarela: Eu digo não. É desemprego! Eu digo não. É fim dos direitos! Eu digo não. É precarização! Eu digo não.

Notícias

Imagem

Saúde e Segurança do Trabalho: o cuidado com a vida é o bem mais importante

Acidentes de trabalho representam um fantasma que assombra há tempos os empresários e trabalhadores. Só em 2018 foram registrados mais de 623 mil acidentes no país e aproximadamente 18 mil somente em Goiás. Entre 2014 e 2018, o país registrou um total de 1,8 milhão de afastamentos e 6,2 mil mortes relacionadas ao trabalho.

O dado é alarmante e poderia ser reduzido diante de providências básicas que toda empresa, independente do seu segmento e porte, é capaz de aplicar. O serviço de Segurança e Saúde do Trabalho (SST) do SESI, integrante do Sistema Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), prepara e apoia empresas no atendimento aos desafios em saúde e segurança do trabalho.

Sabemos que algumas empresas já procuram se organizar e se adequar às normas vigentes da legislação que regem a segurança do trabalho, muitas vezes com alguma dificuldade. Outras, seja por desconhecimento ou por ausência de uma fiscalização mais ostensiva, deixam de executar até os programas legais como PPRA - Programa de Prevenção dos Riscos Ambientais e PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.

A ausência de medidas como essas deixam os colaboradores mais vulneráveis e oneram os empresários, já que a empresa terá que lidar com as faltas no trabalho e a redução da produtividade.

A segurança do trabalho deve ser um valor incorporado à cultura da empresa. É extremamente importante que os empresários invistam em práticas voltadas à saúde e segurança do trabalhador para reduzir custos e garantir o funcionamento regular do ambiente do trabalho.

Sem contar outras vantagens diretas como a preservação da imagem da empresa, que demonstra estar comprometida com o capital humano; e a diminuição do risco de envolvimento com processos judiciais por doenças e acidentes de trabalho.

A importância da educação dos trabalhadores

Na outra extremidade estão alguns trabalhadores que, devido à resistência e a um excesso de confiança, são displicentes com a própria segurança e, por muitas vezes, consideram desnecessário o uso de equipamentos de proteção e diretrizes técnicas. Por isso, cada vez mais se faz necessário o incentivo à educação.

SIPAT — Semana Interna de Prevenção a Acidentes de Trabalho — e demais ações educativas são iniciativas que, se feitas adequadamente, tendem a contribuir com a maior conscientização do trabalhador.

É preciso levar e construir o conhecimento sobre os riscos e cuidados no procedimento de trabalho por meio da educação.

O governo federal, por sua vez, tem investido esforços na modernização das normas regulamentadoras com promessas de flexibilizar e desburocratizar algumas das obrigações existentes.

Reduzir o número de acidentes de trabalho não é tão simples, mas com o esforço de todos é possível e alcançável. O ideal é que as empresas e os trabalhadores, juntos, se sensibilizem com a causa por dois motivos: o primeiro e fundamental é a preservação da vida. O segundo é que investir em saúde e segurança dos funcionários garante uma equipe mais produtiva, colaboradores satisfeitos com as boas condições laborais e redução de custos aos negócios.

Por fazer parte do Sistema Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), entidade que se renova a cada dia, o serviço de Segurança e Saúde do Trabalho (SST) do SESI Goiás oferece um processo de melhoria contínua para empresas interessadas em políticas de segurança do trabalho. As soluções incluem capacitações, consultorias e ações específicas para:

 

  • Atender à legislação vigente;
  • Prevenir acidentes e doenças do trabalho;
  • Aumentar a produtividade;
  • Reduzir o absenteísmo;
  • Fortalecer a relação entre trabalhador e empregado;
  • Melhorar o clima organizacional;
  • Levar mais benefícios ao trabalhador;
  • Auxiliar a reter talentos;

 

Já os programas que atendem à legislação e visam antecipar, prevenir, reduzir e eliminar riscos e doenças ocupacionais no ambiente de trabalho, por meio de procedimentos técnicos e administrativos, compreendem:

 

  • PCMSO - Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
  • PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
  • PGR - Programa de Gerenciamento de Risco
  • LTCAT - Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho
  • PCMAT - Programa de Controle do Meio Ambiente de Trabalho

Por isso que ampliar as ações em prevenção às doenças ocupacionais e acidentes traz ganhos para a saúde das pessoas e para a saúde dos negócios, além de ser um valor inegociável que é a preservação da vida.

Entre em contato com o SESI Goiás e saiba mais detalhes sobre SST.

Fonte: G1

Comente esta notícia

Desenvolvido por Agência Confraria