Acesse aqui o Portal do SMC

Notícias > Campanha Salarial, Campanha Salarial 2021, Campanha Salarial 2021-Metalúrgicos do Paraná

Imagem

MOÇÃO DE APOIO AOS METALÚRGICOS DA GRANDE CURITIBA E DE REPÚDIO A AÇÃO DA POLÍCIA MILITAR DO PARANA CONTRA A LUTA DOS TRABALHADORES POR MELHORES SALÁRIOS

MOÇÃO APOIO AOS METALÚRGICOS DA GRANDE CURITIBA E DE REPÚDIO A PARTICIPAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR DO PARANA EM DETRIMENTO  AOS DIREITOS DOS TRABALHADORES, CERCEANDO E INTERFERINDO EM SUAS  LUTAS  SALARIAIS E NOS DIREITOS CONSTITUCIONALMENTE ASSEGURADOS, DE PARALISAÇAO E GREVE

Polícia deve proteger e assegurar diretos constituídos, defendendo e protegendo a população e não constranger ou intimidar trabalhadores no exercício de seu sagrado direito

    Vimos, por meio desta, manifestar nosso apoio aos Trabalhadores  Metalúrgicos da Grande Curitiba em sua luta em prol da melhoria das condições de vida e de trabalho. É fato que a situação caótica em que o Brasil se encontra tanto política como economicamente, penaliza, principalmente, a grande maioria da classe trabalhadora brasileira, elo mais fraco da cadeia produtiva, com o achatamento da renda e precarização das condições de vida e trabalho. Por isso, a luta pela reposição salarial, manutenção de direitos, dignidade e por empregos de qualidade se faz tão necessária neste momento. Está comprovado por diversos estudos e pela história, que a valorização da mão de obra é benéfica para todos. Trabalhador valorizado é trabalhador motivado a produzir cada vez mais e melhor. Assim todos ganham, o trabalhador, as empresas e principalmente a economia do País, com reflexos benéficos na sociedade em geral.

Desta forma, não podemos nos omitir ou emudecer, diante dos estarrecedores acontecimentos, que reiteradamente tem acontecido nas lutas salariais dos metalúrgicos da Grande Curitiba, que buscando seus legais e constitucionais direitos, além de enfrentar o desinteresse e a má vontade patronal, que desdenha e menospreza o trabalhador, no momento de recompor e valorizar seu trabalho com um salário justo, ainda tem que enfrentar a interferência  fora de propósito da Polícia Militar do Estado do Paraná, a qual desviando de seus fins, se coloca a porta das fábricas e empresas, como verdadeira guarda particular privada, interferindo nas assembleias e atuando com sua força ostensiva de choque, para intimidar e coagir as entidades representativas e os trabalhadores. Causa espécie e espanto todo o aparato empenhado pela polícia, que se utiliza de grande números de viaturas, camburões e policiais preparados como se fossem para uma guerra, que comparecem nas entradas dos turnos com vistas a intimidar, coagir e constranger os trabalhadores na luta pela melhoria de vida e condições de trabalho.  

 Diante destes fatos, temos que manifestar ainda nosso repúdio ao Governo do Estado do Paraná, que permite que a segurança pública do Paraná, representada pela Polícia Militar, esteja sendo usada como polícia privada e servindo a interesses das empresas que não respeitam sequer os próprios funcionários, aplicando toda espécie de truculência e arbitrariedades.

Cabe esclarecer que não temos nada contra a Policia Militar, também ela formada por trabalhadores, que só buscam seu sustento e de seus familiares, porém não podemos nos omitir e calar, manifestando nosso repúdio à forma como estão desviando-se de suas funções de polícia, que é a de proteger e servir a população e não deixar-se ser usada para intimidar e coagir trabalhadores em sua luta pelos seus direitos de melhores condições de trabalho.

Como entidades de defesas dos direitos dos trabalhadores, registramos de forma veemente nosso inconformismo e repúdio quanto a forma e modo que vem sendo tratado os trabalhadores, como verdadeiros criminosos e não pais de família lutando  por seus direitos. Exigimos do senhor Ratinho Junior, autoridade maior deste Estado, que exerça as funções de seu cargo e aplique, fiel e com isenção a legislação , impedindo a Polícia Militar do Paraná  de agir em contrariedade a Lei e ao direito, servindo de braço armado das Empresas e entidades Patronais, coagindo e cerceando os trabalhadores, sob pena de, se não o fizer,  responder por crime de responsabilidade.


FORÇA SINDICAL DO PARANÁ
FEDERAÇÃO DOS METALURGICOS DO PARANÁ 

             
 

Comente esta notícia

código captcha
Desenvolvido por Agência Confraria